Playlist

terça-feira, 6 de março de 2012

Das Faces do Amor


Ah o Amor, vivemos a buscá-lo, o idealizamos sob a forma de pureza, intensidade, perfeição, idealização do ser amado, e que só é bom se seguir o protocolo da correspondência, do conto de fadas, da bonança infinda... Mas a sua procura, focamos nessas qualidades e nos assustamos quando vivenciamos coisas muito diferentes disso, então criamos outra visão: o amor nos faz sofrer, o amor é algo impossível, é a dor maior que se pode sentir, decepção... E criamos aversão, medo de se apaixonar, medo de sofrer.. E nesse processo damos vestes, máscaras ao amor que não são suas, o deturpamos... Muitos se corrompem, e passam a ser adeptos das relações descartáveis, sem envolvimento, superficialidade no sentimento e profundidade em sexo... Quem causa isso tudo não é o amor, somos nós mesmos, com nossas falhas, fraquezas e faltas, mas não admitimos isso e pomos a culpa no amor... Mas ele não desiste de nós, lá no fundo, abafado, sufocado vira e mexe se debate, cutuca o nosso ser.. O Amor tenta nos avisar que sua essência é diferente do que o forçamos vestir... Esse aviso vem sob a forma de solidão, vazio, e o se sentir perdido em meio a tanta mesquinharia e falta de valor sentimental das ações humanas... Quem consegue e se permite ouvir o chamado do amor, começa a entender que ele é algo bem maior, é ser independente, tem várias faces, e todas soberanas, superiores a tudo que acreditamos: maior que a posse, promiscuidade, raiva, mágoa, maior até que o ser amado, ao qual o juramos, pois (eu) acredito que somos capazes de abandonar amores (físicos), mas o amor como sentimento sempre está em nós, sob várias formas: Amor-próprio, amor ao próximo, amor a outro que vier, amor à vida, amor à natureza, enfim, amor sempre existe e existirá só muda-se o que/ a quem amar... E desse amor não devemos desistir nunca e muito menos corrompê-lo... Pois é a forma pura, genuína e dignificante deste que nos torna o melhor que podemos ser, não importando quem ou o que o fez surgir em nós... 
Viva o Amor!!! Pleno, sem amarras, sem conceitos, fórmulas, ciúmes, posse. 
Muitos o julgam ser uma causa perdida, mas como uma eterna amante de causas perdidas, decidi que só quero "O AMOR" o resto é consequência!

(Juliana Alves)

Nenhum comentário:

Postar um comentário